1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

Lá e de Volta Outra Vez: As Férias de um Hobbit - Capítulo Final

Tópico em 'Comunicados, Tutoriais e Demais Valinorices' iniciado por Bagrong, 5 Jan 2006.

  1. Bagrong

    Bagrong RaG

    Autores: Smaug; Mith; Bagrong

    Apresentação

    Este é o sétimo e último capítulo do "Lá e de Volta Outra Vez". Ao longo destes capítulos, apresentamos biografias de personagens, descrevemos os locais e as regiões que a Comitiva passou, listamos variadas ilustrações, fizemos estudos e explicações de diversos temas, enfim: foi um verdadeiro estudo de O Hobbit.

    Para finalizar, esta conclusão traz 2 "estudos": a história do Livro Vermelho, que Bilbo e outras pessoas usaram para escrever e contar as grandes aventuras da Terceira e da Quarta Era e o que aconteceu com os anões da Comitiva de Thorin após a reconquista do reino de Erebor, como Balin, Nori e Glóin. Também temos números e curiosidades que foram pesquisados especialmente para este encerramento.

    Uma boa leitura, e até uma próxima!


    Lá e de Volta Outra Vez: As Férias de um Hobbit - Capítulo Final

    Das datas e dos acontecimentos


    Seguiam atrás do Rei Élfico, quando chegaram na borda da floresta e resolveram se separar. Gandalf preferiu contornar a extremidade norte da floresta, pois os orcs próximos às Montanhas Cinzentas foram derrotados, e ainda poderia haver algum perigo na trilha da floresta. Bilbo foi junto, Beorn acompanhando. Levaram cerca de 1 mês para chegarem na casa do homem-urso, quando já haviam contornado as bordas da floresta, e aí se deu o solstício de inverno e o fim do ano.

    Começou o ano de 2942. O hobbit e o mago ficaram com Beorn durante uma estação inteira, até que a linda primavera chegou, e era hora de se despedir. Foram voltando pela trilha onde meses antes haviam enfrentado os Orcs, nas Montanhas Nebulosas¹, quando chegaram em Valfenda no dia 1º do mês de Maio. Ali ficaram com Elrond, contando e escutando as mais variadas histórias – não só as de Erebor. Uma semana depois partiram.

    Finalmente Bilbo retornou para sua confortável toca no dia 22 de junho, no Condado. Chegou em meio a um leilão, na sua toca! Estavam vendendo todos os seus móveis e objetos, pois imaginavam que o hobbit estivesse morto. No final das contas, precisou comprar sua própria mobília de volta!

    Algum tempo se passou e em 2949, Gandalf e Balin foram visitar Bilbo em Bolsão. Ele estava com 59 anos. Ficaram conversando sobre os acontecimentos dos últimos anos, e compartilhando de suas vasilhas de fumo. E, assim, a história relatada em 'O Hobbit' se encerrou, mas novas aventuras estariam por vir.


    Nota:
    1: O leitor irá encontrar no mapa do livro “O Hobbit”, na versão brasileira, “Montanhas Sombrias”. O curioso é que no Glossário de “O Silmarillion”, Hithaeglir (a forma sindarin para o nome da cordilheira) significa “Montanhas Nebulosas” ou “Montanhas Enevoadas”, mas não há citações para “Montanhas Sombrias” (!). Portanto, uma nota para esclarecer o uso de “Mont. Nebulosas” no texto. Mais sobre essa nomenclatura, veja no
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    deste projeto.


    O Livro Vermelho do Marco Ocidental


    Os hobbits costumavam ser seres pacatos demais para criar um livro acerca de grandes aventuras e perigos fantásticos. Por sorte Bungo Bolseiro e Belladonna Tûk se conheceram e, mais que isso, se casaram e tiveram um filho. O filho, Bilbo, certo dia sairia de sua casa sem nem ao menos um lenço para uma aventura comparada a que poucos hobbits viveriam.

    Bilbo felizmente se safou de todos os perigos e pôde voltar para o Condado para viver uma vida pacata por mais alguns anos. Neste período sem aventuras o hobbit começou a narrar suas antigas proezas num grande livro com capa de couro vermelho.

    Passado o tempo, Bilbo envelhece e parte para uma última aventura, aonde revê a Montanha Solitária e muito do que conheceu da primeira vez. Mas Bilbo não volta para sua toca no Condado, ele para sua viagem em Valfenda, onde passa a residir. Durante todo o tempo em que ficou na casa de Elrond, o pequeno Hobbit trabalhou cuidadosamente em seu livro.

    Chega o dia em que Frodo Bolseiro destrói o Um Anel e retorna para o Condado, mas não sem antes passar por Valfenda. Nesse momento, Bilbo sente que é chegada a hora de passar adiante seu trabalho e deixa Frodo encarregado de narrar sua participação na história da Terra-Média.

    Frodo volta para Bolsão e escreve sobre os acontecimentos da Guerra do Anel, iniciando mais uma parte daquele que seria o mais completo e importante relato da Terceira Era.

    Com a partida de Frodo para Valinor, Sam fica encarregado de continuar o livro, tarefa que cumpre com primor. Mais tarde, o hobbit parte num barco solitário tendo a terra dos Valar como destino e deixa o valioso livro para sua filha, Elanor, a Bela.

    Elanor casa-se com Fastred de Ilhaverde e vai morar no Marco Ocidental, região situada à Oeste do Condado que passou a pertencer aos hobbits por um decreto do rei Elessar. Desse casal descendem os Lindofilhos das Torres, herdeiros da obra que passa a ser chamada de Livro Vermelho do Marco Ocidental.

    A versão final desta relíquia continha as Aventuras de Bilbo durante a retomada de Erebor; um relato da Guerra do Anel e os eventos do final da Terceira Era, conforme vistos pelos Hobbits; numerosas notas inseridas por outros autores e, em anexo, os três volumes das Traduções do Élfico de Bilbo e um volume das genealogias e outros assuntos do Condado compilado por um dos descendentes de Sam.

    Infelizmente a versão original deste livro se perdeu, mas diversas cópias foram feitas ao longo dos anos, sendo a primeira o Livro do Thain. Encomendada pelo rei Aragorn, essa cópia lhe foi entregue por Peregrin Tûk, quando este se mudou para Gondor. Sua importância reside no fato de que esta é uma cópia integral, sendo que nenhum detalhe do livro original foi perdido.

    Outro aspecto importante da reprodução é que esta recebeu novas anotações e correções, principalmente nas palavras e citações de línguas élficas. Além disso, uma abreviação do texto acerca da “História de Aragorn e Arwen”, escrito por Barahir, filho de Faramir, também foi inserida no livro.

    Já a mais importante cópia foi feita por Findegil em 172 da Quarta Era, provavelmente por um pedido do bisneto de Peregrin, e mantida nos Grandes Smials, a residência dos Tûks no Condado. Nesta cópia havia a nota "Findegil, Escriba do Rei, terminou esta obra em IV 172. É uma cópia exata do Livro do Thain de Minas Tirith. Esse livro era uma cópia, escrita a pedido do Rei Elessar, do Livro Vermelho dos Periannath, e foi levado a ele pelo Thain Peregrin, quando este se retirou para Gondor em IV 64.".

    As duas versões de Livro Vermelho do Marco Ocidental citadas acima são as únicas a conter toda informação presente nele, mais o que lhe foi adicionado e corrigido em Gondor. Na verdade, apenas o livro de Findegil continha o anexo “Traduções do Élfico” de Bilbo Bolseiro, por isso sua importância.

    Curiosidade:

    Apenas como curiosidade, vale lembrar que Tolkien afirmava ser um mero tradutor do Livro Vermelho. Nesta história ele teria encontrado a obra e a traduzido para o inglês. Talvez por isso a soma dos capítulos de O Hobbit e O Senhor dos Anéis seja 81, já que Frodo entregou o Livro à Sam contendo 80 capítulos e sendo o último inacabado. Provavelmente, de acordo com o mito criado pelo professor, Sam teria acabado o octogésimo capítulo e escrito o seguinte.

    O Hobbit, 19 capítulos.
    O Senhor dos Anéis:
    A Sociedade do Anel, 22 cap.
    As Duas Torres, 21 cap.
    O Retorno Rei, 19 cap.
    Soma: 81 capítulos.

    Números da Demanda de Erebor

    Na história/livro:

    • São 33 personagens principais, salvo engano, fora os vários “elfos, anões, wargs, orcs, corvos, aranhas, esquilos negros, águias” entre outros, que são citados em bandos, em grandes ou pequenas quantidades, sem terem algum nome em específico. A lista dos personagens principal é:

    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)


    • Dez personagens morrem. São eles: os trolls Tom, Bert e William. Os anões Fili, Kili e Thorin. E os restantes: Smaug, Grão-Orc, Bolg, e o Senhor da Cidade do Lago. Sem contar os elfos, orcs, wargs, e outros, que morreram em batalhas ou lutas.

    • Mais de 10 lugares e/ou reinos são visitados pela Comitiva de Thorin. Na ordem: Condado; Mata dos Trolls; Valfenda; Montanhas Nebulosas (Caverna dos Orcs e Caverna do Gollum); Carrocha; Casa de Beorn; Floresta das Trevas (Trilha dos elfos e os Salões do Rei Élfico); Lago Comprido e Esgaroth; e Erebor, a Montanha Solitária.

    • Algumas lutas, batalhas e encontro com inimigos são travados no livro. E ocorrem na: Mata dos Trolls (com 3 trolls); Montanhas Nebulosas (com vários orcs e com Gollum – e posteriormente com os wargs, nas raízes da cordilheira); Floresta das Trevas (com as grandes aranhas); Montanha Solitária, Erebor (com Smaug e novamente com os wargs e orcs).

    • Bilbo fica fora de casa 420 dias. Ele sai de sua toca no dia 27 de abril de 2941, às 10h50min da manhã e retorna no dia 22 de junho de 2942, perto do almoço. Os meses do Calendário do Condado possuem 30 dias, mas ainda há 5 dias especiais, portanto a duração é igual ao calendário que usamos.

    Do livro:

    • Contém 19 capítulos, 13 ilustrações e mais uma em preto e branco do Smaug, 2 mapas, e cerca de 300 páginas (varia de edição para edição).

    • Quase 70 anos de publicação do livro (lançado em 1937).

    • Segundo o livro "The Annotated Hobbit" de Douglas Anderson, Tolkien detestou a edição portuguesa de Portugal, que foi lançada em 1962. Àquela altura, "O Hobbit" se chamava "O Gnomo".

    • Em 1989 "O Hobbit" ganhou uma excelente adaptação em quadrinhos, feita por Charles Dixon e Sean Demming e com arte de David Wenzel. É a única adaptação de alguma obra de Tolkien para os quadrinhos.

    Do que aconteceu com os anões

    O sucesso da demanda de Erebor não significou o fim das aventuras dos anões. Após a retomada do Reino sob a montanha, muita coisa aconteceu com esse curioso povo.

    Dain-pé-de-ferro, o novo Senhor da Montanha Solitária, foi um justo e próspero rei que governou até o ano de 3019 da terceira Era, quando tombou em batalha contra as forças de Sauron. Diz-se que a resistência do anão ao lado do corpo do rei Brand foi um gigantesco feito, sendo que ele pôde brandir seu machado até o cair da noite, mesmo estando na avançada idade de 252 anos.

    Outro anão que teve destaque dentre os remanescentes dos aliados de Thorin Escudo-de-carvalho foi Balin, já que este possuiu coragem o suficiente para travar uma batalha a fim de reconquistar Moria, a mina dos anões. Infelizmente essa empreitada foi mal sucedida, pois o anão morreu, assim como todos os que o seguiram.

    A Missão de Balin começou no ano 2989 da terceira era (o mesmo ano em que Bilbo adotou Frodo), quando a comitiva liderada por ele deixou Erebor, e viu seu fim no ano de 2994, com a morte de todos os Anões de Moria. Foi um curto período de cinco anos, mas que serviu para provar que ainda restava esperança entre os anões.

    A verdadeira retomada deste antigo reino só se deu na quarta Era, séculos depois que Gandalf matara o Balrog. Pouco se sabe acerca de como tudo ocorreu, já que isso só aparece em rascunhos dos apêndices de O Senhor dos Anéis, mas acredita-se que Durin VII foi quem liderou a definitiva reconquista de Khazad-dûm e que esse reino voltou a ser próspero e rico até o mundo ficar velho e os dias do povo de Durin terminarem.

    Dos outros membros da Demanda de Erebor, pouco se sabe ou pouco fizeram, a não ser por Bilbo, que têm suas aventuras futuras bem conhecidas. Dentre os anões, sabe-se que Óin pereceu em Moria, junto de Balin; que Nori passou o resto dos seus anos residindo em Erebor e que Glóin, pai de Gimli, participou do Conselho de Elrond.


    Consultas


    Livros:
    O Hobbit, J.R.R. Tolkien. Editora Martins Fontes.
    O Silmarillion, J.R.R. Tolkien. Editora Martins Fontes.
    O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei, J.R.R. Tolkien. Martins Fontes.
    O Atlas da Terra-média, Karen Wynn Fonstad. Editora Martins Fontes, 2004.

    Sites:
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .
    Este conteúdo é limitado a Usuários. Por favor, cadastre-se para poder ver o conteúdo e participar (não demora e não possui custos)
    .

    Agradecimentos aos usuário Daeron, do Portal Tolkienianos, e à Marreco pelas colaborações com curiosidades.
     
    Última edição: 5 Jan 2006
  2. Turgon

    Turgon ソードアート・オンライン

    Nossa senti falta de algumas pessoas nesse último capítulo. :mrgreen:

    Adorei aquela curiosidade, nunca havia reparado ou lido sobre aquilo, muito legal mesmo. :D

    Meus parabéns por mais esse belo trabalho. :clap: :clap: :clap:

    Até os próximos textos. :wink:
     
  3. sandersonluiz

    sandersonluiz Usuário

    Talvez eu me entrigue o resto de meus dias com a historia da terra media.

    um lugar fascinante, que agora conheço um pouco melhor.

    As curiosidades sao demais, vlw pessoal e parabens... :cerva:
     
  4. ROVER*

    ROVER* Turn me on

    Sobre esta história de Tolkien ter odiado a edição portuguesa... Vi num sebo dia desses o que o cara me disse ser a primeira edição brasileira de O Senhor dos Anéis... Bem, dando uma olhada nos títulos, a tradução era toda diferente, em que Frodo encontrava um estranho conhecido por Caminheiro lá no Pônei Empinado...
     
  5. Smaug

    Smaug Cacho

    Sim, mas essa edição que você viu (brasileira) saiu nos anos 80 (os anos certos eu não sei). Provavelmente era a edição pirata da extinta Arte Nova. Certamente Tolkien também não gostaria com o que fizeram nas traduções dos nomes.
     
  6. ROVER*

    ROVER* Turn me on

    E por isso ele fez aquele livro com as recomendações de tradução? Tem um livro assim, não tem?
     

Compartilhar