1. Caro Visitante, por que não gastar alguns segundos e criar uma Conta no Fórum Valinor? Desta forma, além de não ver este aviso novamente, poderá participar de nossa comunidade, inserir suas opiniões e sugestões, fazendo parte deste que é um maiores Fóruns de Discussão do Brasil! Aproveite e cadastre-se já!

O caso da garota grávida aos quatro anos

Tópico em 'Atualidades e Generalidades' iniciado por Tamuríl Ar-Feinie, 29 Abr 2006.

  1. Tamuríl Ar-Feinie

    Tamuríl Ar-Feinie Bozo Bozoca nariz de pipoca

    Os pais de Lina Medina pensavam que sua filha de 5 anos tinha um enorme tumor no abdômen. Quando nem os feiticeiros de sua remota vila nos Andes peruanos conseguiram encontrar a cura, o pai de Lina decidiu levá-la para o hospital. Um mês depois, ela deu à luz um menino. Tinha apenas cinco anos, sete meses e 21 dias de idade quando foi submetida à cesariana em maio de 1939. A menina entrou para a história da medicina e ainda é considerada a mãe mais nova do mundo.

    Naquela época, o governo peruano prometeu à família uma ajuda que nunca chegou. Seis décadas depois, Lina vive com o marido numa casa apertada em um distrito pobre e com alta taxa de criminalidade da capital peruana, conhecido como ‘‘Pequena Chicago’’. Agora com 68 anos, Lina cuida de si mesma e sempre rejeita pedidos para relembrar o passado. Gerardo, o filho que ela teve quando ainda era uma criança, morreu em 1979 aos 40 anos.

    Mas um novo livro, escrito por um obstetra que se interessou pelo caso, chamou a atenção para a história de Lina novamente e para o fato de que provavelmente será tarde demais quando o governo peruano oferecer ajuda financeira e outras assistências a ela. ‘‘O governo os condenou a viver na pobreza. Em qualquer outro país eles seriam objeto de cuidados especiais’’, disse José Sandoval, autor de Mãe aos Cinco Anos. ‘‘Ainda temos tempo para reparar os danos causados a ela. Esse é meu objetivo fundamental.’’

    Sandoval levou o caso de Lina ao gabinete da primeira-dama, Eliane Karp, e pediu ao governo que dê a ela uma pensão vitalícia — algo que algumas autoridades dizem ser possível. ‘‘Estamos querendo muito ajudá-la’’, disse a porta-voz Marta Castañeda. Mas Suni Ramos, do departamento de ação social do gabinete de Karp, explicou que o governo precisa discutir com Lina quais suas necessidades antes de presenteá-la com uma pensão ou outro tipo de ajuda que está sendo estudada — como uma cozinha ou utensílios domésticos. Os funcionários ainda estão tentando entrar em contato com ela e a família.


    Sem esperanças O marido de Lina, Raul Jurado, disse que sua mulher perdeu as esperanças. ‘‘Que eu saiba, ela não recebeu ajuda nenhuma (em 1939)’’, afirmou Jurado. ‘‘Ela acredita que os governos nunca dão nada. Talvez hoje seja feita uma promessa que nunca se tornará realidade’’. Jurado disse que Lina — cuja história é contada num livro clássico da Medicina e foi comprovada pelas associações norte-americanas de obstetras e ginecologistas — não quis dar entrevista.

    Ninguém nunca descobriu quem é o pai de Gerardo ou confirmou que Lina ficou grávida após ser estuprada. Uma de nove irmãos nascidos na vila indígena e andina de Ticrapo, na província mais pobre do Peru, a uma altitude de 2.250 metros, Lina é considerada o caso mais jovem de puberdade precoce da história, segundo Sandoval. Ele disse que Lina teve a primeira menstruação aos 2 anos e meio e ficou grávida aos 4 anos e oito meses. Quando foi submetida à cesariana, os médicos constataram que ela já tinha os órgãos sexuais totalmente desenvolvidos.

    Sua barriga crescente preocupou os pais. ‘‘Eles pensavam que fosse um tumor’’, contou Sandoval. Mas os xamãs descartaram superstições da vila — incluindo uma segundo a qual uma cobra cresce dentro da pessoa até matá-la — e recomendaram que ela fosse levada a um hospital da cidade grande mais próxima, Pisco. Ali ficaram sabendo que Lina estava grávida.

    O pai foi preso temporariamente por suspeita de incesto — acabou libertado por falta de provas — e doutores, policiais e até uma equipe de filmagem chegaram à vila para investigar o caso. Sandoval baseou seu livro na imprensa, em outras informações publicadas e entrevistas com parentes de Lina, que se recusa a falar sobre o assunto. Ele disse que as notícias sobre a mãe precoce renderam manifestações imediatas de ajuda, incluindo uma oferta recusada de US$ 5 mil, feita por um empresário norte-americano.

    Mais ofertas se seguiram depois que Lina foi transferida para um hospital em Lima, onde o bebê saudável, de 2,7 quilos, nasceu em 14 de maio de 1939, dia das mães. Uma delas era de US$ 1 mil por semana, mais despesas, para que Lina e o filho fossem exibidos na Feira Mundial em Nova York. Em junho do mesmo ano a família aceitou uma outra oferta, de um empresário norte-americano, para que mãe e bebê viajassem aos Estados Unidos, onde cientistas estudariam o caso. A proposta incluía a criação de um fundo para garantir o conforto financeiro dos dois durante toda a vida.

    Mas em poucos dias o Estado proibiu todas as ofertas anteriores, decretando que Lina e o filho estavam em ‘‘perigo moral’’, e decidiu criar uma comissão especial para protegê-la. ‘‘Abandonaram o caso depois de seis meses. Não fizeram absolutamente nada por eles’’, disse Sandoval.

    Final feliz? Apesar de psicologicamente amadurecida, Lina — que segundo Sandoval é mentalmente normal e não demonstra qualquer sintoma médico fora do comum — ainda agia como uma criança, preferindo brincar com suas bonecas do que dar atenção para o bebê, que era alimentado por uma enfermeira. Lina ficou no hospital por 11 meses e finalmente voltou para a família após o início de procedimentos legais que levaram a Corte Suprema a permitir sua convivência com os pais.

    Depois de ser ridicularizado pelos colegas de escola, Gerardo — cujo nome foi uma homenagem a um dos médicos que atenderam Lina — descobriu aos 10 anos que aquela garota que ele acreditava ser sua irmã era na verdade sua mãe. Ele morreu em 1979 de uma doença que atacou a medula dos ossos, mas, segundo Sandoval, não há certeza de vínculo entre a enfermidade e o fato de sua mãe ter engravidado tão precocemente.

    Lina casou-se e em 1972 teve outro filho, 33 anos depois do primeiro, que agora vive no México. Ela parece ter transformado sua história bizarra em objeto de tabu. ‘‘Só queremos continuar nossas vidas, só isso’’, diz Jurado, acrescentando que não sente ‘‘absolutamente nada’’ pelo fato de sua mulher ser a mãe mais nova do mundo. Ele contou que a maior preocupação do casal, se a oferta de ajuda do governo for mesmo genuína, é receber o valor de uma propriedade que pertencia a Lina, mas acabou expropriada pelo Estado há mais de duas décadas. Essa casa foi destruída e em seu lugar existe hoje uma estrada.

    Jurado disse que o valor do imóvel era de ‘‘mais ou menos US$ 25 mil’’, e a solução desse problema encerraria uma longa batalha judicial para conseguirem de novo uma casa própria. Os dois vivem numa residência modesta, no caminho de um beco escuro parcialmente interditado por placas de madeira, numa vizinhança barra-pesada conhecida pelos moradores locais como ‘‘paraíso dos ladrões’’.

    ‘‘Se o governo realmente quer ajudar, deveria nos dar o valor de nossa propriedade’’, afirmou Jurado. Quanto a Sandoval, ele está otimista de que a história de Lina, que ele vem acompanhando desde os tempos de estudante, termine bem: ‘‘Eu acredito que haverá um final feliz’’.


    Fonte wikipedia
     

    Arquivos Anexados:

  2. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    Olha, em 1939? No meio dos cafundós do Peru? Gostaria de saber mais pra ter idéia de qual a credibilidade disso perante a comunidade médica.

    Cadê a Anigel qdo se precisa dela?
     
  3. Tamuríl Ar-Feinie

    Tamuríl Ar-Feinie Bozo Bozoca nariz de pipoca

    se vc quiser, e confiar vai lá no wikipedia e digita "lina Medina" aparece tudo.
     
  4. Anna Cwen

    Anna Cwen Ourificada

    fato: wikipedia é a fonte menos confiável de informações em toda a internet, visto que qualquer um pode ir lá e editar o texto.
     
  5. Deriel

    Deriel Administrador

    Errado. A Wikipedia tem quase menos erros por artigo do que a Enciclopédia Britânica mas artigos mais longos que esta última (pesquisa realizada pela Nature). O fato de permitir que "qualquer um edite" permite uma rápida revisão e correções de erros.
     
    Última edição: 1 Mai 2006
  6. The_King_Arthas

    The_King_Arthas Usuário

    O fato de qualquer um poder editar só deixa ela sem crédito quanto a coisas absurdas e repentinas. Se for algo como o apresentado, em que pelo menos exista o mito, é claro que isso não duraria mais do que algumas horas na Wiki.
    Lembrando também que qualquer um pode editar, mas quem editar e não tiver uma conta cadastrada tem seu IP rastreado.
     
  7. Miguêz

    Miguêz You talkin' to me?

    Isso não garante a credibilidade dos artigos.:tsc:
     
  8. Fingolfin

    Fingolfin Feitiço de Áquila

    POis eh, eu li umas reportagens por ai de pessoas que ficam editando aquela porra errado direto.

    ok q tem quem corrija mas um caso mais desconhecido, ou ateh mesmo inventado pode ficar lah sem que alguem saiba que eh falso
     
  9. The_King_Arthas

    The_King_Arthas Usuário

    Se você editar errado, seu IP fica gravado, a não ser que além disso você ainda tenha um IP que possa trocar toda hora, e uma grande força de vontade, ou talvez estupidez de ficar mudando para o errado sem o menor propósito, não dá para mudar direto aquilo.
    Pode sim ser inventado, mas acho que não chega ao extremo de não se dar nenhuma credibilidade ao caso. Nem de dar real credibilidade, òbviamente.
     
  10. Miguêz

    Miguêz You talkin' to me?

    Tá blz, meu IP fica lá gravado, mas isso não adianta.Por ex:

    Eu sou 120252164612014, editei 10 artigos, entre eles 9 contém informações falsas, mas ninguém corrigiu os artigos, eles continuam contendo informações falsas!:tsc:
     
  11. Sorento

    Sorento Usuário

    que eu saiba,perante a medicina,é impossivel,tendo em vista que precisaria que a menina gerasse óvulos,coisa que só começa a acontecer no m´nimo aos 9,10 anos.
     
  12. [F*U*S*A*|KåMµ§]

    [F*U*S*A*|KåMµ§] Who will define me?

    Tipo.....Em vez de irem pro wikipedia, vão para o Google......
    Eu não entendo muito disso, mas em outros sites vocês encontram outras referências que talvez sejam mais confiáveis.....

    Em um dos sites tinha esses:

    1. La Presse Medicale. "La Plus Jeune Mère du Monde."
    47(38): 744, 1939 (13 May 1939).

    2. La Presse Medicale. "La Plus Jeune Mère du Monde."
    47(43): 875, 1939 (31 May 1939).

    3. La Presse Medicale. "L'ovaire de Lina Medina, la Plus Jeune Mère du Monde."
    47(94): 1648, 1939 (19 December 1939).

    4. United Press. "Five-and-Half-Year-old Mother and Baby Reported Doing Well."
    Los Angeles Times. 16 May 1939 (p. 2).

    5. Los Angeles Times. "Physician Upholds Birth Possibility."
    16 May 1939 (p. 2).

    6. The New York Times. "U.S. Health Official Returns from Peru."
    15 November 1939 (p. 9).

    7. The New York Times. "Mother, 5, to Visit Here."
    8 August 1940 (p. 21).

    8. The New York Times. "Wife of Peruvian Envoy Arrives to Join Him Here."
    29 July 1941 (p. 8).

    9. Spectator Wire Services. "The Mother Peru Forgot."
    Hamilton Spectator. 23 August 2002 (p. B4).
     
  13. Omykron

    Omykron far above

    apenas para nao desvirtuar, seria melhor abrirem um topico no tecnologia contestando esse fato do wikipedia nao ser confiavel, assim como essas coisas de ip.

    convite foi feito.
     
  14. Miguêz

    Miguêz You talkin' to me?

  15. The_King_Arthas

    The_King_Arthas Usuário

    Acho que seria algum tipo de mutação genética no caso. Claro que se isso fosse possível em circunstâncias normais, aconteceria mais vezes.
     
    Última edição: 2 Mai 2006
  16. Cildraemoth

    Cildraemoth Usuário

    No próprio artigo diz que ela teve esse desenvolvimento excepcionalmente cedo.

    Bom, é um fato curioso, e tal, mas... e daí? Ainda mais que já faz muitos e muitos anos, a mulher já deve estar morta.
     

Compartilhar